26 maio, 2012

Portuguesa excelentíssima

 
Muitos portugueses reconhecem-na em três tempos, mas talvez não saibam que abandonou uma carreira para se entregar à causa de ajudar o próximo, liderando o Banco Alimentar contra a Fome. Nos últimos dias foi nomeada para coordenar a 247 bancos alimentares na Europa. A campanha de recolha de bens este fim de semana está a bater novos recordes. No sítio «Alimento Esta Ideia» também se podem fazer doações em forma de vales, campanha a que os emigrantes têm participado em massa. A solidariedade tem um nome e chama-se Isabel Jonet. E não é preciso chegar à política para fazer um serviço público e social ímpar. Jonet fora da política. Quem para lá vai, estraga-se.

7 comentários:

Anónimo disse...

abandonou uma carreira por ter as costas quentes para o poder fazer. eu tb abandono a minha se puder e não mando as mães do rendimento mínimo irem trabalhar

Anónimo disse...

Exactamente por ter como diz "as costas quentes" Isabel Jonet se podia ter encostado a uma vida confortável e sem preocupações. Exactamente por ter "as costas quentes" abandonou a carreira para se dedicar a uma causa que hoje põe comer na mesa de muitas famílias. Duvido que muitos portugueses com vidas confortáveis saiam desse estado e dediquem parte do seu tempo ao próximo.

Anónimo disse...

a mesma gaja que veio de bruxelas para portugal e resolveu não ir trabalhar para acompanhar os meninos na mudança de colégios é a primeira a mandar as mães do rendimento mínimo deixarem os seus filhos para irem esfregar escadas.

uma puta, estou-me fodendo se há outras que se encostam.

Anónimo disse...

Que comentário mais triste. Reflete a sociedade de parasitas que temos.

Anónimo disse...

parasita é a tua mãe e as jonets que se hão-de converter em nobres mais cedo que tarde

David Soares disse...

Epah a baixeza a que os comentarios aqui chegaram, depois dos dois primeiros não sei porque os outros comentarios aparecem, e sim infelizmente reflete a sociedade que temos.
Em vez de louvar a escolha que ela fez, independentemente de porque a fez. Não conheço a sra nem vou pesquisar para tal, pois nao preciso de a julgar.
Independentemente do porquê da sua escolha de ter mudado, está a fazer um bom trabalho e um trabalho social. Algo a que os governos agora nao tem condiçoes de fazerem, porque nao tem dinheiro para tal

Anónimo disse...

ela com os seus comentários sobre economia e política mostra bem ter sido uma das que contribuiu para chegarmos onde estamos, miseravelmente pobres, um país a ter de viver da caridade /e com a caridade) do seu projecto.um projecto alimentado de pobreza, não resolutor da pobreza, um projecto enriquecedor e escoador dos stocks dos soares dos santos e quejandos, que ela acha bem que se pirem com as massas para a Holanda.


Você, David, no fundo queria que o primeiro comentário fosse resolvido e calado com o segundo, com que concorda, em vez de ter de pensar e saber que nem toda a gente acredita na esmola ou nos bons fundos de quem em vez de dar a cana de pesca insiste em atirar minhocas aos pobrezinhos.